Sonho, reflexão e discernimento operam a mágica

Quando chega o último mês do ano e os pêndulos do relógio estão cada vez mais próximos de fazer a última viagem entre um extremo e outro, encerrando o ano que se acaba, chega o tempo da colheita. O tempo de visualizar triunfos e frustrações. Construir nova lista de desejos. E este ato tão popularizado, tão repetido no fim de ano merece um momento de reflexão.

A confecção de uma “lista de desejos” tem efeito parecido com o dos rituais tribais de passagem – símbolos de ultrapassagem ou  chegada a períodos críticos  da vida. Por esse motivo, talvez devêssemos dar mais importância a esse momento. Não pelo ato em si, mas (mais…)