Leituras: ‘Plano de Voo’

Obra de Fongwei Liu,

Transportar-se para territórios inusitados …

Ler é viajar. 

Essa afirmação tão corriqueira, certamente, refere-se às sensações de afastamento da realidade e prazer evocadas na experiência da leitura. Mas, se repararmos com atenção, é possível ver que a leitura em si é apenas um transporte. A viagem é obra do viajante, no caso, o leitor.

Cada leitor é um peregrino alado. Suas asas são a imaginação e a curiosidade. Asas que nos alçam às alturas da compreensão e sensibilidade que a leitura proporciona.

Todo viajante precisa de um plano de viagem, sendo leitores, precisamos de um ‘plano de voo’.

É impossível ler tudo o que queremos no tempo que almejamos. São tantas as escolhas possíveis, dentre a massa de títulos que compõem os estoques de livrarias, sebos, e bibliotecas. A saída é buscar atalhos que nos ajudem a abreviar esforço e tempo. Talvez, este seja o motivo do sucesso das listas de livros recomendados e de publicações do tipo ”livros para ler antes de morrer”, ‘livros para amar’ , ‘livros mais lidos pelos grandes escritores’.

E é justo reconhecer que essas ‘recomendações’ têm valor como indicadores que podem ser úteis para alcançarmos formas mais produtivas e prazerosas de ler.

Acontece que cada leitor precisa fazer viagens que o levem a lugares congruentes com as suas metas de médio e curto prazo ou com seu propósito de vida. E essa congruência é o que, antes de tudo, dará sentido e consistência às leituras.

Cada leitor, a partir de seus propósitos, firma um julgamento do que é a leitura e qual a sua finalidade.

Glustave Flaubert dizia que a gente lê para viver. Ele atribuía profundo sentido existencial à leitura. Franz Kafka dizia que a gente lê para fazer perguntas. Ou seja, o criador de ‘Metamorfose’, via a leitura como estímulo à capacidade crítica. Alberto Manguel, autor de ‘Uma História da Leitura’, explora a amplitude do ato de ler quando afirma: ‘Ler as letras de uma página é apenas um dos muitos disfarces da leitura.”

Apesar de cada leitor ter uma visão singular do valor e utilidade da leitura, há uma base comum de finalidades em cada gênero literário que permite traçar orientações que podem ser ponto de partida de bons ‘planos de voos’.

Vejamos algumas.

Quando o desejo é aprofundar o conhecimento de áreas técnicas, a opção é investir tempo na leitura de artigos, periódicos técnicos e manuais científicos. Eles fornecem o cabedal de informações que ajudam a manejar ideias teóricas com maior desembaraço. Se quisermos soltar a imaginação, a ficção é a melhor escolha. Se a ideia é aprimorar a capacidade reflexiva nos temas que nos são valiosos, a pedida é mergulhar nos ensaios que por sua natureza ampla permitem visualizar uma mesma temática sob múltiplos prismas.

Caso a leitura objetive o ganho de mais fôlego na compreensão filosófica da vida, então não há saída que não passe pela leitura de mestres da Filosofia, dos Socráticos aos Contemporâneos e Pós-modernos. Se o destino final é aumentar ou descobrir a própria capacidade de captar e expressar a realidade com sensibilidade, as linhas sensíveis da poesia são ótima trilha. Por último, se quisermos incrementar a capacidade de apreciação estética, os textos de dramaturgia e os livros de arte e fotografia são velhos e sábios amigos.

Agora, se você quer ler para escrever melhor, então, prepare-se. Sua pauta de leitura pode ser infinita. Considere tudo, dos clássicos aos últimos lançamentos. Literatura Nacional e Estrangeira – Romance, Ficção Científica, Terror. E ainda, Correspondências, Biografias, Viagens, Culinária, Poesia com ou sem rima, Mangá e gibi. Vai escrever ficção? Então, ler crítica literária é fundamental. Quer ser um bom ensaísta? Não há outro jeito a não ser mergulhar nos artigos, ensaios e críticas. Enfim, não há e não deve haver restrição, simplesmente leia com vontade de desembaciar suas lentes ou como dizia Marcel Proust de ‘Olhar para o seu mundo com os olhos do escritor’.

Seria possível continuar elencando opções, mas paremos aqui. Antes de finalizar, entretanto, nunca é demais lembrar que quando se trata de leitura, preconceito não ajuda. Quanto mais abrimos as portas da percepção e diversificamos a leitura, mais o ato de ler traz benefícios. Nada mais saudável do que, de vez em quando, deixar o ‘plano de voo’ de lado e entregar-se a um desses livros que de repente nos chegam às mãos.

Afinal, nada acontece por acaso, especialmente, quando se trata da magia de ler.

Obra de Iman Maleki

O leitor é um ser alado …

10 comentários sobre “Leituras: ‘Plano de Voo’

  1. JOVINA disse:

    Lidu,
    que bom começar o domingo lendo teu texto. Penso na fome de leitura, de livros, essa fome que nunca acaba.
    Seu texto como sempre é maravilhoso. Tudo nele me tocou, especialmente:

    “A viagem é obra do viajante, no caso, o leitor.
    “Acontece que cada leitor precisa fazer viagens que o levem a lugares congruentes com as suas metas de médio e curto prazo ou com seu propósito de vida. E essa congruência é o que, antes de tudo, dará sentido e consistência às leituras.”

    Um beijo, minha mestra, amiga, mãe no espírito e escritora fantástica.
    Obrigada!
    Um beijo!
    Jovina

  2. Reinaldo disse:

    Rsrs… pois é… esta leitura foi a “fuga” do meu “plano de voo”. E como você mesmo citou, não deixou de ser “saudável” e prazerosa. No entanto, agora preciso voltar a “mergulhar nos artigos”. Até a próxima emersão. Bjos.

  3. Marcos Avelino disse:

    Valeu! Continue a viver sua vida,
    Sua vida vale,
    Vale pra outros além de você, vale e valeu,
    Valeu e vale, por exemplo pra mim,
    Pra mim valeu,
    Valeu. Vale. Valeu!

  4. Doroteia disse:

    Liduina,
    Adorei “a leitura é um transporte”, “pois cada fará sua própria viagem”, o que pode ser comprovado quando se encontra alguém que já leu o livro, e as impressões e interpretações são tão diversas, mas muito enriquecedora, ao possibilitar expandir “sua viagem”.
    Obrigada por compartilhar este texto. Abraços, Dorotéia.

  5. Angélica Pereira de Almeida disse:

    É sempre com prazer que ‘leio você’, através de seus textos. Ler é minha vocação. Obrigada por escrever tão bem assim!

  6. gabriela disse:

    Oi Tia 😀

    E que coisa maravilhosa iniciar uma viagem sem plano algum e ter a boa surpresa de encontrar um texto agradável que proporciona uma leitura maravilhosa. Sinto-me num balão onde consigo, ao meno, de longe vê os horizontes que posso encontrar com o conhecimento advindo da leitura, no entanto, algo ainda ressoa no meu coração…estou sendo congruente ?? e o sentido que quero dar a minha vida…É, tia, refleti um pouco e cheguei a conclusão que no momento , vou colorindo a vida com as cores que observo nos textos. XD e só mais uma coisinha…seu texto tem uma cor que deixa a alma feliz. ^_^.

  7. Neto disse:

    Minha amiga
    É sempre um prazer e uma VIAGEM ler seus textos…
    Obrigado pela lembrança…
    Aguardo novas leituras.
    Bjo e fique com Deus.
    Neto (BB)

  8. Sônia Gomes disse:

    Lidu,

    Que maravilha! Este Plano de voo eu estou necessitando há tempos, mas não parava para refletir, e depois desta leitura mãos a obra. Obrigada e Beijos,
    Sônia Gomes.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s