Depois do nunca mais …

A dor dos que ficam pode ser transformada
A dor dos que ficam pode ser transformada

Há pouca reflexão sobre os sentimentos que a morte provoca.

Vivemos esquecidos do momento inevitável.

Do ponto de vista psicológico, o fenômeno é compreensível. A vida se liga à morte mais por antinomias. Por isso o ‘esquecimento‘ funciona muito como se fora uma defesa. Ele nos mantém mais conectados ao que é próprio de estar vivo: ao desejo, à ação, ao pulsar.

Mas a vida é provisória e por isso, como diz  Soren Kierkegaard, ela se traduz também Continuar lendo Depois do nunca mais …