O Dia da Mulher

Ser feminina: substantiva, singular

Queria escrever um texto feminino.

Queria um escrito com palavras que conseguissem dar alguma forma sensorial ao que exprime a substância feminina.

Mas, como materializar em palavras a rica condição feminina? 

O pensamento voou buscando respostas e trouxe-me a ideia de falar sobre objetos de que me recordo quando penso na  feminina essência.

E comecei a identificar alguns signos impregnados de fascinação em mim, mulher e sonhadora e que costumam provocar a emoção feminina.

Então, decidi que no texto precisariam estar representadas sensações de magia como a ternura própria das bochechas de bebê; a esperança presente nos suspiros de quem acaba de receber uma flor; o cheiro de saudade entranhado em folhas secas soltas nas páginas do romance predileto, como lembrança de um amor perdido;

São muitas as evocações que formam esse caleidoscópio de emoções, mas eu não excluiria: a beleza velha das rosas cor de chá; os rabiscos de maizena no caderno de receitas com capa gasta, de onde sorriem gravuras com mocinhas de aventais floridos.

Também não deixaria de  fora as  bijouterias  viçosas, de amáveis contas coloridas, dadas pelo carinho desajeitado do homem amado. Quem sabe eu escreveria sobre poemas doces, mas sofridos como a vida de muitas mulheres, principalmente as oprimidas. E incluiria rubis. Vermelhos como o desejo secreto de ser sempre desejada. 

E deixando-me incorporar por uma ‘entidade mulherzinha’, eu não cometeria o erro de  excluir o cheiro de lavanda  à hora do banho quando se  lava a  alma do cansaço e, às vezes da própria tristeza.

Ah! E incluiria um colar de pérolas, mesmo as de fantasia, mas que enganassem com dignidade a vontade de reverenciar pedras autênticas num pescoço, eternamente sem rugas.

E  não reparem se eu inserir no texto, sapatilhas de bailarina para  lembrarmos  de que  a mulher guarda sempre um pouco de infância, mesmo no mais recôndito de sua madureza. Depois de tantas concessões, deixem-me incorporar à receita de substância-mulher: vinho rosé, esmaltes para unhas, lingeries e bombons de avelã em forma de coração.

Sem dúvida, seria um jeito feliz e, talvez engraçado, de fugir da sublime, mas árdua tarefa de me entranhar  na  essência persistente e etérea que nos faz molho. Nos faz mulher.

Contudo, na história das mulheres se repetem episódios de exploração e indignidades que não posso me permitir olhá-la apenas da perspectiva da fascinação. 

É preciso celebrar as conquistas de mulheres que militaram pela dignidade feminina, então lembro-me de sutiãs e sinto-me um pouco pouco Beth Friedmann, uma feminista aguerrida que convidou as mulheres a se livrar de todos os símbolos de sua opressão.

Sou admiradora de tudo que Beth Friedmann firmoucomo espaços na luta pela igualdade de gêneros, mas discordo da quema dos sutiãs.

E a discordância quanto à queima pública do sutiã como signo de libertação tem um motivo. O sutiã é peça tão feminil. A maioria das mulheres o adoramos. Vestindo um  sutiã, mesmo singelo, esquecemos um pouco que temos mamas como qualquer mamífero. Saímos pelo mundo. Seres dotados de seios. Artifícios da sensualidade.  Sentimo-nos como Rita Hayworth, dançando em rodopios, no filme Gilda, vestindo um ‘tomara que caia’  fenomenal, escravizando olhares.  Coisas de mulher.

Enfim, quem sabe a substância feminina se esconde em todos os dias da mulher.  No dia único de cada mulher com as suas histórias comuns cheias de feminilidade. Rotina de mulheres felizes, mas também, das que têm as lentes do medo no olhar. Das que trazem tristeza nas mãos. Das que têm secura no sonhar e cinzas no esperançar.

O feminino é imponderável.

A feminilidade é  uma filigrana bordada na rotina de quem embala a vida com o cântico de sereia ninando o mar; de quem acredita no amor com a devoção da fé diante do altar e de quem cuida dos que ama com  os gestos da Pietá.

Há um quê de perfeição…

16 comentários sobre “O Dia da Mulher

  1. Débora Benigno disse:

    Que texto primoroso! Um deleite para nós mulheres! Obrigada por dividir conosco, mais uma vez, sua sensibilidade e sabedoria! Feliz Dia Internacional da Mulher! Amo-te!

  2. Parabéns, linda mensagem ,com admiração a essa mulher inteligente e guerreira. só me resta reportar ao poeta Vinícios de Moraes na sua canção Samba das Bênção. “A uma mulher tem que ter qualquer coisa além da beleza, qualquer coisa de triste, qualquer coisa que chora, qualquer coisa que sente saudades; um molejo de amor, uma beleza que vem da tristeza de saber mulher feita apenas para amar, para sofrer pelo seu amor e ser só perdão” Um beijo no coração de todas as mulheres do meu amado Brasil.

  3. Mirna disse:

    Mulher,linda criação de DEUS,amando e gerando vida,e na sua sensibilidade traduz toda a sua beleza interior.Lidu, que linda expressão!parabéns,beijão!

    • Sonia Ramos disse:

      Liduína, que texto lindo, sensível, cheio de sabedoria e poesia!
      Parabéns pelo dia e pela generosidade em compartilhar conosco! Bjs!

  4. Talitha disse:

    Lidu que texto MARAVILHOSO… Me emocionei muito com a leitura… Sua sensibilidade e dom com as palavras me envolveram numa fascinante viagem interior e reforçaram o sentimento de orgulho e gratidão por ser mulher!

    Um beijo no coração!

    Talitha

  5. Regina Estela bonfim disse:

    Salve, Liduína!!
    Graça e Paz !!!!
    Obrigada por expressar tão sabiamente a perspicácia, o valor, a doçura aguerida, o sorriso subtraído, a lágrima contida na caminhada histórica e contínua so SER mulher.

    Fraternal abraço
    Regina Bonfim

  6. Márcia Gama disse:

    Lidu querida!
    Gratidão pela partilha, você que “cuida dos que ama com os gestos da Pietá.” bjss

  7. Leda Carneiro disse:

    Lidu,

    Que texto maravilhoso! Me emocionei com a leitura.Que Deus lhe abençôe e lhe dê mais sabedoria.Bjs!
    Leda

    • maria beatriz cruz disse:

      Lidu,

      Só hoje li o seu texto. É tão emocionante e sutil. Como você conseguiu tão bem expressar a alma feminina! Parabéns e obrigada!

  8. anysie disse:

    Parabéns Lidu. Você sempre tão sensível. Consegue exprimir com tanta clareza e sabedoria a alma feminina.
    Bjs. Anysie

  9. JOVINA disse:

    Lidu, obrigada e parabens pelo texto, sua beleza, a poesia que consegue ser tão exata da expressão tão rica, tão intensa e disponíveis à vida, do que somos.
    Um beijo!
    saudades!
    Jovina

  10. Arildo Leal de Paula disse:

    Parabéns, seu texto sintetiza a essência, a pureza, a meiguice, a ternura e a perfeição da mulher. Sena de júbilo e homenagem ao dia internacional da mulher.

  11. Vitoria disse:

    Parabéns Lidu! Esses seus textos lindos que “descem redondo” pela simplicidade e sabedoria das suas palavras.
    Beijos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s