Tocar a melodia da vida com harmonia ou ….

Em algumas pessoas, basta cair a tarde de domingo e já se instala certa ansiedade diante da chegada da segunda-feira. Muitos experimentam sentimentos de desesperança quanto ao primeiro dia útil da semana.

E esse desassossego no início do  ciclo semanal parece cada vez mais comum.  Mas, a segunda-feira é recomeço. Então, é possível enxergá-la de forma edificante, para isso é preciso retirarmos os véus do negativismo  que encobrem suas possibilidades como novo tempo.

É natural que, de vez em quando, experimentemos certa apreensão frente às mudanças do calendário. Ás vezes, nos sentimos vulneráveis diante de obrigações e desafios. Seja pelo nível de dificuldade que se apresenta, seja pelo tipo de relação que mantemos com as pessoas com quem iremos trabalhar; ou, ainda, por estados de espírito que nos levam a conferir à missão, um forte caráter de visível sacrifício e de pouco retorno à vista.

Então, como eliminar crenças desanimadoras para ultrapassar o vale do negativismo e alcançar o topo da atitude positiva que os recomeços exigem?

Há caminhos a experimentar:

Começar bem. Trocar as lentes da autoimagem e enxergar a si mesmo como alguém capaz e confiante. Todo começo é favorecido pela autoconfiança. E nada traz um melhor começo do que o forte compromisso. Goethe dizia: ‘quando estamos comprometidos, o cosmo conspira a favor’.

Recomeçar. Mas se o bom princípio é uma vantagem, também não significa que um início ruim será condenação ao fracasso. Podemos recomeçar com a vantagem conhecer os tropeços e vicissitudes do caminho. 

O sentido do trabalho. Talvez visualizemos a segunda-feira de perspectiva sombria  pelo sentido que atribuímos ao trabalho. Historicamente, o pensamento ocidental tem ligado o trabalho a experiências de sacrifício, mas toda ação tem certa ambiguidade. Há o lado agônico de esforço, mas também, o lado prazeroso de nos sabermos construtores do mundo.

Movimento permanente. A realidade está em constante fluxo. Muitos ciclos compõem a vida. Basta olhar a natureza. As  fases da vida.  As estações do ano. Ciclos inexoráveis. E diante do inexorável, há duas opções: o amargor de maldizer a vida ou vivê-la de forma realística. Negar o movimento do tempo ou acolher cada dia como confirmação de vida.

A segunda-feira começa no domingo. Cuidar do fim de semana é a melhor maneira de começar a segunda-feira. Inventar momentos agradáveis com os que amamos. Reservar tempo para si. Curtir o prazer da própria companhia.

Reequilibrar-se. Aristóteles ensinava: ‘o equilíbrio o caminho da felicidade’ e o final de semana é o tempo de reequilibrar energia. Os excessos não ajudam. É sair da rotina sem exageros, sem descompensar nosso ritmo mais saudável.

Discurso interno. O escritor indiano, Aravind Adiga diz que: “É difícil um homem mergulhado na lama cheirar bem”.  Ele parece  sugerir ser impossível a alguém imerso em pensamentos ruins ter visão afirmativa da própria experiência. E na receita do andar firme é preciso pingar gotas do mais puro otimismo.

Em síntese, sem se importar com o tempo do calendário, lembre-se: o tempo é hoje. A esperança é sempre.

Seja.

Vejo flores ou...
Vejo flores ou…