Não descuidar da "criança interna"
Não descuidar da “criança interna”

Entre as muitas lições que nos dá Guimarães Rosa, em Grande Sertão: Veredas, uma toca profundamente.  É quando Riobaldo, personagem do romance, faz uma síntese perfeita sobre como precisamos ampliar a visão para acompanharmos os movimentos da realidade.

Na passagem, o jagunço diz: A cabeça da gente é uma só, e as coisas que há e que estão para haver são demais de muitas e diferentes, e a gente tem de necessitar de aumentar a cabeça para o total.

Com esse jeito tão próprio de falar, Riobaldo faz, na realidade, um discurso sobre  a flexibilidade.  Atributo humano  que nos permite examinar a realidade de perspectivas amplas para transformações comportamentais necessárias à mudança atitudinal.

E sabe porque o tema é central para todos que optaram pelo caminho do autoaperfeiçoamento? (mais…)